domingo, 29 de novembro de 2009

DCE Convida: Mobilização Contra Ato Médico

O CA de Psicologia da Faculdade Sant'Ana, representado pela Fabiane, DCE-UEPG e Cursos da Área da Saúde de Ponta Grossa promovem Mobilização contra o Ato Médico, em conjunto com a Mobilização Nacional da Coordenação Nacional dos Estudantes de Psicologia [CONEP].

CONVOCAMOS TODOS PARA A PASSEATA SAINDO DO TERMINAL CENTRAL ATÉ O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DE PG. DIA 03/12! ÀS 11H
Por isso, convidamos todos vocês a entrarem no Grupo de Discussão dos Cursos de Saúde em Ponta Grossa para fazerem parte dessa Mobilização!

Veja Também:
CA de Psicologia Faculdade Sant'Ana


O QUE É O ATO MÉDICO?
Projeto de Lei 7703/06 que visa regulamentar a profissão médica. Atualmente tramita no Senado em caráter “urgente-urgentíssimo”. O principal argumento utilizado por quem o defende é que as demais profissões da saúde já têm suas leis regulamentadas, e por isso consideram importante delimitar o exercício da medicina, inclusive explicitando suas funções, diferenciando as privativas (que só o médico pode fazer) e as compartilhadas com outras profissões.

OS PROBLEMAS DO PROJETO
Todo projeto de lei traz consigo determinadas concepções políticas, sociais e históricas que passam a se materializar a partir da prática que esta lei busca legitimar. Portanto, devemos refletir sobre as concepções que este projeto sustenta.

Que concepções esse projeto de lei busca legitimar?
Uma concepção de que a prática em saúde deve ser organizada a partir das especificidades da profissão, e que os profissionais devem “defender seu território” com relação aos demais profissionais. Isso desconsidera uma prática integrada dos profissionais da saúde, uma atuação interdisciplinar, na qual não interessa qual função pertence a qual saber, mas sim a contribuição de todos os profissionais da saúde na compreensão do sujeito em sua totalidade, ou seja, englobando aspectos biopsicossociais.
Não queremos defender a nossa profissão, mas o espaço do cuidado, que engloba profissionais e usuários da rede de saúde pública atuando juntos como agentes na promoção de saúde.

Devemos pensar:
Que concepção de saúde está por trás da formação dos profissionais e das leis de regulamentação dos profissionais da saúde?

O Sistema Único de Saúde (SUS) que temos hoje, resultado de uma série de movimentos do final dos anos 80, culminando com a realização da 8ª Conferência de Saúde, é o SUS que queremos e idealizamos?

DCE Promove: 2ª Reunião do Círculo de Leituras Marxistas

Toda Quarta-feira às 20h na Sede do DCE!

Os textos estão disponibilizados na Pasta do DCE na xerocadora Authentic Cópias.

Metodologia: Leitura em Voz alta do Texto com pausas para debate.

Nesta quarta [02/12]: Continuação da Leitura do "Princípios do Comunismo" - Engels
Disponível na Authentic Cópias ou:
- ou Aqui

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Ata 27/11 - Conselho de Entidades de Base

Iniciado às 17h30 no Auditório 03 da Central de Salas do Campus Uvaranas, tendo presentes os CA s/DA s:

CAED (Centro Acadêmico Erasmus Darwin)
DAGLAS (Diretório Acadêmico de Geografia Luiz André Sartori)
DALHIS (Diretório Acadêmico Livre de História)
CAJOR (Centro Acadêmico João do Rio)
DCE

Pauta:
1. Informes
2. Prestação de Contas da Gestão 2008/2009, sobre:
a) Representação Discente
b) Carteirinhas do DCE
c) Brechó
3. Abaixo Assinado para Janta no R.U.

1. Informes

- Rui: Delegado de Bacharelado em Geografia para Votação de Representação Discente.
- Rafael: Assembléia de Geografia decide sediar o próximo EREGEO-Sul; a proposta da UEPG será levada ao COREGEO.
- Felipe: Ressalta que os Editais de convocação de CEBs devem receber mais atenção.

2. Prestação de Contas da Gestão 2008/2009, sobre:
a) Representação Discente
Hugo: Em 2008 a Comissão Eleitoral para Representação Discente era formada por discentes (indicada pelo DCE. Alana diz que foi procurada pela Comissão Própria de Avaliação a respeito da RD em cima da hora.
b) Carteirinhas do DCE
Alana: No decorrer da Gestão houve o abandono de grande parte da diretoria e por questões financeiras resolveram fazer as carteirinhas. A empresa contratada custeava as carteirinhas dando lucro de R$ 5,00 ao DCE por cada carteirinha. O DCE buscou a ajuda das estudantes Mariana e Caroline (História Bach.) para a confecção das carteirinhas. As duas acadêmicas ficaram responsáveis pela venda e confecção das carteirinhas. Os cerca de R$ 300,00 ainda estão com as duas acadêmicas que não prestaram contas do dinheiro e não fizeram as carteirinhas.
Ana: Ana e Luíz (Matemática e CEUP) montaram uma banca e venderam 15 carteirinhas e passaram para Caroline e Mariana. Ao ser questionada, Mariana inicialmente disse que o dinheiro foi repassado para o Hugo ou o Bruce da gestão 2008/2009 e em seguida disse que o dinheiro está com a Caroline. Propõe chamar um CEB para semana que vem convocando-as nominalmente.
Rafael: Questiona quanto foi gasto com as carteirinhas e de quem é a responsabilidade.
Alana: Cerca de R$ 300,00 de lucro, já que não havia gastos do DCE na confecção das mesmas. Diz que como coordenadora de finanças, a responsabilidade é sua.
Hugo: Diz que a responsabilidade é de toda a gestão.
Ana: Concorda, mas ressalta que as duas acadêmicas precisam ser questionadas e responsabilizadas.
Leandro (Mesa): Lê o Artigo 15º do Estatuto do DCE.
Rafael: Questiona se, quando recuperado o dinheiro, este será encaminhado para o DCE ou ressarcido aos acadêmicos.
Ana: Estudantes serão ressarcidos.
Leandro: Propõe tirar uma comissão a fim de apurar os dados e trazer ao CEB que será convocado.
Ana: As acadêmicas responsáveis devem ser convocadas nominalmente, mandando um ofício de convocação.
Rui: Propõe que sejam feitos ofícios convocando nominalmente e os que não comparecerem serem punidos da forma cabível.
Sebastião: Tirar uma comissão e convocar nominalmente toda a antiga gestão.

Proposta 1: Comissão convocar nominalmente as duas acadêmicas responsáveis e, em geral, a antiga coordenação geral e finanças.
Proposta 2: Convocar toda a gestão nominalmente.

Encaminhamento: Proposta 1. Comissão: Leandro, Felipe, Sabrina, Heder, Rui e Rafael. A comissão decidirá a data do CEB, Leandro fará o Edital.

c) Brechó
Hugo: O Brechó já está na sede há 3 gestões. O acordo verbal com a Gestão 2008/2009 foi que o brechó ocuparia a parte debaixo da sede e pagariam luz e água em seu valor integral durante o ano da gestão em questão.
Alana: Inicialmente ocorriam reuniões do AA e quinzenalmente o brechó para angariar fundos. Alana conversou com os proprietários do brechó dizendo que a próxima gestão teria autonomia para decidir o que fariam a respeito. Os proprietários afirmaram que só sairiam caso fossem ressarcidos em relação às benfeitorias supostamente feitas por eles. Durante o período de transição de gestão, aproveitaram para ocupar a parte de cima da sede, que estava vazia.
Ana: Presta esclarecimentos sobre a conversa da atual gestão com os proprietários do brechó.
Leandro: Propõe que a Comissão do CEB exija um esclarecimento da última gestão a respeito do brechó.
Alana: Destaca a irresponsabilidade não só da última gestão, mas de suscetivas gestões desastrosas.
Hugo: Não foi a gestão 2008/2009 quem cometeu o erro, apesar de ter errado em manter, mas de várias gestões.

3. Abaixo Assinado para Janta no R.U.
As assinaturas para o Abaixo-assinado começarão a ser colhidas no início do ano letivo de 2010.

O CEB teve seu término às 19h30; abaixo, CA's e DA's que assinam esta Ata.

Diretório Central dos Estudantes (DCE)
Centro Acadêmico Erasmus Darwin (CAED)
Diretório Acadêmico de História (DALHIS)
Centro Acadêmico João do Rio (CAJOR)
Diretório Acadêmico de Geografia Luiz André Sartori (DAGLAS)

DCE Convida: Planejamento do DCE - Gestão 2009/2010



Data: 28 e 29 de novembro de 2009
Local: Sede do DCE

Programação:

28/11 (Sábado)

15h às 19h
Mesa Redonda de Análise de Conjuntura

29/11 (Domingo)


9h às 12h30
Mesa Redonda sobre História e Concepção do Movimento Estudantil

13h30 às 17h
Objetivos e Ações da Gestão

Contamos com você!

Até lá, Despertados!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Caminhada do 1º de Dezembro - DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA AIDS.


Caminhada do 1º de Dezembro - DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA AIDS.

Horario: 14h
Local: na Av. Vicente Machado.
Concentração 13h na Praça Barão do Guaraúna (Igreja dos Polacos)

Maiores informações : Coordenação Municipal DST – AIDS.

Rua Enfermeiro Paulino, nº 200. Fone: 3225-8805

VIVER COM AIDS É POSSÍVEL.
COM O PRECONCEITO NÃO.


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

PRR-4 defende suspensão de instalação de aterro sanitário próximo a parque nacional no PR

DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA PGR

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional da República da 4ª Região, emitiu parecer nesta quarta-feira, 25, para que seja suspensa a instalação de um aterro sanitário no município parananense de Ponta Grossa, obra sob responsabilidade da empresa Ponta Grossa Ambiental. Segundo o MPF, além de o futuro lixão ficar a menos de dois quilômetros do Parque Nacional dos Campos Gerais, uma área de preservação, houve inconsistências no estudo de impacto ambiental e irregularidades no processo de licenciamento conduzido pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Segundo o parecer da procuradora regional Márcia Neves Pinto, da Procuradoria Regional da Repúbica da 4ª Região, o estudo de impacto ambiental (EIA) foi elaborado com base em dados meteorológicos da cidade de Curitiba, distante cerca de 120 quilômetros do aterro, o que não se justifica, já que em Ponta Grossa existem pelo menos três institutos qualificados para o serviço. Além disso, o solo do local foi apontado no EIA como argiloso, tipo mais impermeável e ideal para aterros. No entanto, a Minerais do Paraná (Mineropar), órgão vinculado ao governo estadual, e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) apontam o terrreno como arenoso, o que facilitaria, por exemplo, a contaminação de lençóis freáticos.

A procuradora também questiona a regularidade das licenças prévia e de instalação — primeiras duas das três que compõem o processo de licenciamento (a última é a de operação) — concedidas pelo IAP à Ponta Grossa Ambiental. Conforme Márcia Neves, os documentos não receberam a anuência do ICMBio, gestor do Parque Nacional dos Campos Gerais, contrariando a Resolução 13/1990 do Conselho Nacional do Meio Ambiente. “Aterros sanitários, por melhor que seja a tecnologia utilizada, acabam por atrair espécies como urubus, baratas, ratos. Além disso, interferem na paisagem de forma bastante agressiva, máxime quando instalado ao lado de um Parque Nacional. Nada mais razoável que se exigir a anuência do órgão gestor da unidade de conservação”, argumenta.

Márcia Neves ainda aponta os riscos econômicos do lixão, que está situado “no centro geográfico da região que concentra a maior parcela das atrações turísticas” de Ponta Grossa. De acordo com a procuradora, a área, somada ao Parna Campos Gerais, constitui “uma reserva valiosa para exploração econômica do turismo e a consequente geração de divisas e oportunidades de trabalho, a exemplo do que ocorre em destinos turísticos nacionais como Foz do Iguaçu (PR), Bonito (MS), Brotas (SP)”.

Trâmite jurídico - Em junho desse ano, 11 moradores da cidade ajuizaram ação popular contra o IAP e a Ponta Grossa Ambiental pedindo anulação do licenciamento para instalação do aterro e a recomposição do estado original do terreno. Em primeira instância, a Justiça Federal determinou que o IAP não emitisse a licença de operação, último requisito para que a empresa pudesse iniciar a atividade comercial. O instituto recorreu ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que pode seguir ou não o parecer do MPF.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

DCE Promove: Círculo de Leituras Marxistas

Toda Quarta-feira às 20h na Sede do DCE!

Os textos estão disponibilizados na Pasta do DCE na xerocadora Authentic Cópias.

Metodologia: Leitura em Voz alta do Texto com pausas para debate.

Nesta quarta [25/11]: Princípios do Comunismo - Engels
Disponível na Authentic Cópias ou:

Convite: Coletivo Educador Universitário




COLETIVO EDUCADOR DOS CAMPOS GERAIS
REUNIÃO: COLETIVO EDUCADOR UNIVERSITÁRIO

CONVITE

Convidamos para participar da discussão visando a formação do Coletivo Educador Universitário no contexto da UEPG.

DATA: 03 de dezembro de 2009
HORÁRIO: DAS 16h às 18h
LOCAL: Sala de Educação Ambiental do NUCLEAM
              Rua: Penteado de Almeida,260 (ao lado) Edifício Piquiri.
              Próximo aos Campus Central
FONE: 3220-3438
e-mail para contato: mariah@uepg.br

PAUTA
  • Coletivos Educadores - princípios e objetivos;
  • Coletivo Educador dos Campos Gerias  - estruturação, objetivos e caminhada;
  • Coletivo Educador Universitário - proposta
  • Debate - estratégias para estruturação do Coletivo
 Participe e venha fazer a diferença!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

DCE Convoca: Conselho de Entidades de Base [27/11]


Edital 001/2009

    A Coordenação do DCE, conforme determina o Art. 18, VIII, do Estatuto do DCE/UEPG, vimos a público convocar o Conselho de Entidades de Base (CEB), a ser realizado no dia 27 de Novembro nas dependências do Auditório 03 da Central de Salas do Campus Uvaramas, com a seguinte pauta:


1. Informes
2. Prestação de Contas da Gestão 2008/2009, sobre:
a) Representação Discente
b) Carteirinhas do DCE
c) Brechó
3. Representação Discente
4. Abaixo Assinado para Janta no R.U.
       
Art 13 - O Conselho de Entidades de Base- CEB é orgão deliberatiro e consultivo do DCE.
Art 14 - O CEB é formado pelos representantes dos Centros Acadêmicos e do DCE, sendo assegurado para cada CA, um para cada uma das Coordenadorias Setoriais e um para cada Coordenador Geral do DCE.
§ 1º - Cada CA indicara um representante e um suplente para atuar junto ao CEB.
§ 2º - Para assegurar sua vaga no CEB, cada CA deverá:
a) Fornecer à Coordenação do DCE documentação que comprove o vínculo de seu representante com a Entidade;
b) Fornecer à Coordenação do DCE documentação que comprove a legitimidade da Entidade.
§ 3º - Em caso da não existência de uma Entidade representativa do Curso seu representante discente junto ao Colegiado ou a seus Departamentos, será nomeado também representante do CEB, sendo exigida também probatória da legitimidade do seu cargo através de documentação.


A Coordenação Geral

Manifesto: Contra a "Queima de Campo" de Odonto

    Anualmente os formandos do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) fazem a “Queima de Campo”, que consiste em um ato em que os acadêmicos/formandos organizam uma fogueira no estacionamento do Bloco M, com os materiais acumulados no decorrer dos cinco anos de curso, como: xerox, mochilas e jalecos. Acompanhando essa “queima” um carro de som (trio elétrico) é utilizado, fato este que gera poluição sonora, causando transtorno para o ambiente de estudos e pesquisas nos blocos do Campus Uvaranas.
    Este evento está agendado para o próximo dia 25/11/2009.
    Nós, Entidades legítimas, organizadas no Movimento Estudantil, somos contra a essa prática, pois consideramos:

1°. A humaninade enfrenta uma grave crise socioambiental planetária com reflexos também no cotidiano da população que vive na região de Ponta Grossa, portanto, é imprescindível e urgente mudanças de atitudes e comprometimento de todos os segmentos da sociedade, em especial de futuros profissionais na mudança de paradigma, com vistas à sustentabilidade;

2°. A UEPG em conjunto com outras IES firmaram O Pacto 21, o qual foi assinado por várias Instituições de Ensino Superior, em outubro de 2007. Desde então 16 universidades vêm promovendo ações em busca do desenvolvimento sustentável. O foco principal do Guia está em promover discussões na construção do conhecimento científico, a busca de uma melhor consciência ambiental, de ética, de valores e atitudes em consonância com o Desenvolvimento Sustentável.

3. Essa cultura da “Queima de Campo” fere inúmeras legislações, entre as quais, citamos:
 - LEI N° 9605 – 12/02/1998 – Lei de Crimes Ambientais
 - LEI Nº 13806 - 30/09/2002 – Controle da Poluição Atmosférica
Art. 4º - Fica proibida a queima a céu aberto de resíduos sólidos, líquidos ou de outros materiais combustíveis, exceto mediante autorização prévia de órgão estadual de meio ambiente, ou em situações de emergência sanitária assim definidas pela Secretaria de Estado da Saúde ou pela Secretaria de Estado da Agricultura.

 - LEI Nº 12493 - 22/01/1999 - Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios referentes a geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos sólidos no Estado do Paraná,
Art. 14° Ficam proibidas, em todo o território do Estado do Paraná, as seguintes formas de destinação final de resíduos sólidos, inclusive pneus usados:
II - queima a céu aberto;

- RESOLUÇÃO N º 041 / 02 - SEMA - Define critérios para o Controle da Qualidade do Ar como um dos instrumentos básicos da gestão ambiental para proteção da saúde e bem estar da população e melhoria da qualidade de vida, com o objetivo de permitir o desenvolvimento econômico e social do Estado de forma ambientalmente segura, pelo estabelecimento de padrões de emissão e critérios de atendimento; padrões de condicionamento; metodologias a serem utilizadas para determinação de emissões.

Entre outras legislações pertinentes.

Encaminhamentos
    Exigimos a proibição e fiscalização desta prática dentro do Campus Universitário.
    Sugerimos aos acadêmicos/formandos do Curso de Odontologia, que façam:
    - Uma “xeroteca” com os xerox que não serão mais utilizados, assim alunos carentes de outros anos podem se beneficiar com este ato, além de reduzir o número de papéis utilizados;
    - Doação desses materiais que não serão mais utilizados, para: demais acadêmicos do curso de Odontologia ou bolsistas do curso de Odontologia de outra instituição como o Centro Superior de Ensino dos Campos Gerias (Cescage);
    - Separação de material que podem ser reciclados ou doados para as associações de catadores;
    - Confecção de blocos de Rascunhos.

Atenciosamente,

Diretório Central dos Estudantes - DCE/UEPG
Centro Acadêmico de Biologia Erasmus Darwin - CAED/UEPG
Diretório Acadêmico de Geografia Luiz André Sartori - DAGLAS/UEPG
Chapa para o Centro Acadêmico de Física - CAFIS/UEPG
Diretório Acadêmico Livre de História - DALHIS/UEPG
Chapa 2 “Formulando idéias!” Centro Acadêmico de Farmácia Jaime Gusmann - CAFJG/UEPG
Centro Acadêmico de Enfermagem Wanda Horta - CAWAN
Centro Acadêmico de Medicina - CAMED
Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas - GUPE

DCE Apóia: Protesto contra Ato Médico

Repasse do Centro Acadêmico de Enfermagem Maria Nery - UNICENTRO

Olá, O Centro Acadêmico de Enfermagem da UNICENTRO está mobilizando todos os Cursos da Saúde de Guarapuava e região para um protesto CONTRA O ATO MÉDICO no próximo dia 25/11. Gostaríamos que os Cursos da Saúde da UEPG também organizasse um "panelaço" contra esse Projeto de Lei que tira a Autonomia de mais de 3 milhões de profisionais da saúde. Qualquer contato, este é o orkut do C.A Maria Nery. Vamos somar nossas forças!

Ato Médico Não!
Envie um E-mail aos Senadores do seu Estado

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

DCE Convida: CINEARTE [21/11]


Atvidades no Dia do Rio!


Convidamos vocês a participarem da programação do Dia do Rio promovida pela Usina de Conhecimento de Ponta Grossa/Núcleo Regional de Educação de Ponta Grossa. Todas as atividades serão na Usina.
 

Dia: 23 de novembro
Horário: 9h
Evento:
Festival de Músicas sobre o Dia do Rio
São 6 escolas estaduais inscritas nesta atividade. Cada equipe levantou a problemática do rio/arroio mais próximo da escola, com a orientação de um professor, criou uma música ou paródia sobre a temática e estará apresentando no Festival. Escolas de Ponta Grossa, Carambeí, Tibagi e Porto Amazonas estão participando.

Dia: 24 de novembro - DIA DO RIO
Horário: 19h
Evento: Palestra sobre o “Dia do Rio”

Tema 1: "Recursos Hídricos dos Campos Gerais: a importância da proteção das águas subterrâneas".
Palestrante 1: Mario Sérgio de Melo - Departamento de Geociências da UEPG

Tema 2: “Rio Pitangui: belezas e contrastes”
Palestrante 2.1: Ana Maria Gealh - Departamento de Biologia da UEPG
Palestrante 2.2: Palestrante 2.2: Elizabeth Scheffer – Departamento de Química da UEPG

As palestras terão certificação pela PROEX/UEPG, através do Projeto de Extensão "Educação para o Consumo Responsável", coordenado pelo prof. Abdala Mohamed Saleh (DEMAT/UEPG) em parceria com a Usina de Conhecimento.

Exposição comemorativa ao Dia do Rio:
 

- “Rio Pitangui: belezas e contrastes” (UEPG) 
- Programa Viva Escola: "De Olho no Arroio" (Escola Estadual Sirley Jagas), que trabalha justamente com o seu arroio próximo, o Santa Luzia.
 
Período: de 23 a 26 de novembro
Horário: 8h - 11h45
13h - 17h

Vejam informes no link

Eleições CA de Farmácia!

Mais uma vez, lembrando a Importância do Movimento de Área.. a mobilização dentro dos Cursos, através da criação de Novos Centros/Diretórios Acadêmicos, e movimentação dentro dos já existentes!


Por isso, o Diretório Central dos Estudantes lembra:
Eleições para o CA de Farmácia: 25/11


Acadêmico do Curso de Farmácia, conheça as Propostas das Chapas e vote com consciência!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Nota de Esclarecimento sobre a Questão do Brechó

Caros Estudantes, gostaríamos de esclarecer a questão acerca do Brechó que se encontra em funcionamento nos fundos da Sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE-UEPG).
A Gestão
atual  (Despertar da Sonolência - 2009/2010) iniciou-se em  05/11/09, e desde então nos deparamos com um “contrato verbal” firmado entre o Brechó e a Gestão anterior do DCE, ou seja, o espaço que é dos acadêmicos da UEPG estava sendo utilizado para atividades comerciais.
Os Donos do comércio se beneficiaram durante esse tempo em que funcionaram no DCE, pois não possuíam gastos diretos com o espaço,
segundo o contrato verbal firmado. Pela necessidade de manter o local funcionando, os donos do comércio (Cristina e Ademir), sem consultar a Gestão anterior do DCE, começaram a pagar a conta de luz do local, colocando-a em seus nomes, lembrando que essa sede é dos estudantes, também realizaram algumas benfeitorias, sem o consentimento da Gestão da época, sob apenas o seu julgamento do que achavam necessário para o seu próprio benefício; e alegaram que realizaram essas benfeitorias também durante as três Gestões anteriores. Em conversa com o Acadêmico Joel de Oliveira (Gestão 2007/2008), este relatou que na gestão da qual fazia parte, cediam o espaço do DCE, esporadicamente, para a realização de reuniões; mas não havia atividade comercial no local, e essa parceria que Cristina alegava ter com o DCE, não existia.
Durante a Campanha da nossa Chapa, levantamos a questão da reconstrução do Movimento Estudantil, e mantemos isso; entendemos que o espaço do DCE deve ser utilizado pelos estudantes.
Em conversa com Cristina, propusemos a ela regularizar sua condição, visto que a utilização do espaço como estava ocorrendo era um desrespeito ao direito dos estudantes de usufruir do local legalmente e também ao Movimento Estudantil, servindo apenas para reafirmar o seu quadro de descrédito perante os próprios estudantes. Observando esses pontos, tentamos firmar um contrato, conforme estabelece a Lei do Inquilinato nº 8245/91, em troca do pagamento mensal das contas de água e luz, ou um valor de aluguel. Cristina não aceitou, alegando que os estudantes são vagabundos, não colocam a mão na massa e não vão trabalhar pra manter o local, dizendo que só queremos usar o DCE para fazer festa.
Cristina e Ademir responderam que só
sairiam do DCE se recebessem o dinheiro que gastaram durante sua permanência no local. Infelizmente, segundo a Lei do Inquilinato, o inquilino não tem o direito de ser ressarcido quando realiza benfeitorias sem o consentimento dos responsáveis legais pelo local. Sabemos que esse consentimento não existiu, partiu de uma decisão exclusivamente de Cristina e Ademir.
Portanto, devemos deixar claro que houve diversas tentativas de diálogo entre a atual Gestão do DCE e os Donos do Brechó, mas houve discordâncias, desrespeito e ameaças de depredação da sede do DCE  por parte deles culminando no dia 16/11 com a agressão verbal e física contra dois integrantes da atual Gestão (Gislaine Indejejczak, Coordenadora Geral e Leandro Santos Dias, Coordenador de Finanças e Assuntos Jurídicos) e um apoiador (Clodoaldo Ribeiro) nas dependências da Sede. Após as constantes ameaças verbais que recebemos, Cristina difamou os três estudantes presentes com termos ofensivos e em seguida agrediu fisicamente o estudante Leandro, pretendendo claramente causar danos.
A partir desse quadro insustentável entendemos não ser mais possível a permanência do Brechó na Sede do DCE e estamos tomando as providências judiciais cabíveis.

DCE UEPG - Gestão 2009/2010 Despertar da Sonolência

Contato: falecomdceuepg@gmail.com
http://dceuepg.blogspot.com

II WORKSHOP PARANAENSE DE ARTE-CIÊNCIA


II WORKSHOP PARANAENSE DE ARTE-CIÊNCIA: OS 400 ANOS DA INVENÇÃO DO TELESCÓPIO E SEUS DESDOBRAMENTOS 

Acontecerá entre os dias 10 e 11 de dezembro de 2009, na Universidade Estadual de Ponta Grossa (Bloco de Artes e Observatório Astronômico). Concomitante ao evento o Museu Campos Gerais, abriga a Mostra com o mesmo título do work shop, a abertura ocorreu no dia 16 de novembro e permanece até dia 19 de dezembro. A Mostra e o work shop têm como objetivo apresentar a obra galileana focando, especialmente, as relações entre ciência e arte que permitiram ao gênio italiano revolucionar a ciência como ele o fez.

O II workshop paranaense de arte-ciência será realizado previamente à Mostra dos 400 anos das observações astronômicas de Galileo Galilei. Palestras, mesas-redondas e oficinas serão oferecidas para celebrar esta comemoração, refazendo a conexão ciência-arte com a qual este grande cientista propagou suas idéias


Link do Workshop

domingo, 15 de novembro de 2009

Reunião Comitê por Aterro Público em Local Adequado

Compareça!
Data: 19/11
Horário: 20h
Local: Sede DCE


O Comitê em Defesa de um Aterro Público em Local Adequado irá se reunir nesta quinta-feira para discutir ações futuras a fim de defender o objetivo Central.


O DCE defenderá: "Pelo fim do Botuquara! Por um Aterro Público em Local Adequado"

XV Semana de Física da UEPG



A Ciência e o Tempo

Em uma abordagem interdisciplinar do conhecimento, os acadêmicos dos cursos de História, Geografia e Física organizam uma discussão sobre um dos aspectos que permeiam todas as decisões da vida moderna: O TEMPO.

A relação entre temporalidade e ciência será o centro do debate proposto para o Seminário “A ciência e o tempo”, programado para acontecer no Cine-Teatro Pax.

Data: 19/11
Horário: 19h


Inscrições: R$2,00
Certificado: 2h

Att,
DCE/UEPG

Movimento Pró-EREGEO SUL 2010 UEPG

O Movimento Pró-Encontro Regional dos Estudantes de Geografia do Sul 2010 UEPG coloca em discussão a vinda do Encontro para a nossa Universidade. 

---  
Em 2008 o Eregeosul aconteceu na UFSC [Santa Catarina]
Este ano [2009] o eregeosul aconteceu na UFRGS [Rio Grande do Sul]
Agora, seguindo a rotatividade, é a vez do Paraná.

No último encontro, em Porto alegre, nós da UEPG representamos o Paraná, praticamente, salvo alguns colegas da UFPR, e, por falta de conversa e preparação com todos da geo antes de rolar o evento lá, e saber o que é o eregeo, não conseguimos sair de lá com a proposta feita e ja encaminhada.
Na plenária final não havia escolas com propostas já feitas, a FURG demonstrou interesse , assim como nós, porém todos lá sabiam que era a hora do Paraná.

Sabendo disso, todos presentes na plenária entraram em consenso que no ENEG vai haver um conselho extraordinário para que a UEPG (única do paraná com interesse) chegasse com proposta já feita para levar o encontro, caso isso nao acontecer, ficará aberto para demais escolas.

Enfim, nosso movimento já começou, a primeira reunião para saber se a GEO UEPG está afim de sediar esse encontro, ocorreu dia 12/11 [Quinta-feira] às 18h na Central de Salas.
Rolou uma explicação sobre a concepção do evento, as brigadas e sua funcionalidade integradora, a diferença que o EPEG não possui, como é feito isso, as fitinhas que delimitam sua colaboração diária, a não utilização do ISSN (que para nós na reunião será muito bom se tiver), a questão da segurança e limpeza e como seria se tivesse aqui, como locais de acampamento, entre outros.

André - Geografia/UEPG
---

Caberá ao DCE acompanhar também as Reuniões do Movimento; tirou-se uma Comissão para essa função (Leandro, Marquinho), o Diretório Central dos Estudantes ajudará na divulgação do Movimento, extremamente importante no Movimento de Área, mas sempre lembrando que cabe aos acadêmicos da Geografia-UEPG conhecer mais sobre o Encontro e participar das Reuniões do Movimento para expor sua opinião.

Próxima Reunião: 

Quarta feira [18/11] às 18h na Sede do DAGLAS [Diretório de Geografia] 


Pauta:
- Mais esclarecimentos sobre o evento e sua diferença com o encontro estadual (como poderá ser aqui em PG e nossa posição diante os conselhos)
- Primeira chamada para pessoas agregarem ao movimento
- Próxima Reunião (local, horário e data)
- Possibilidade de chamar uma Assembléia para definir se a Geo UEPG vai querer sediar o próximo EREGEOSUL (Data e Horário)

DCE/UEPG

Seminário Internacional "Experiências de Agendas 21: Os Desafios do Nosso Tempo"

O DCE/UEPG em sua função, cumprirá papel cobrador da Universidade referente à Implantação da Agenda 21 Universitária. Abaixo, uma síntese sobre a Agenda 21 e links relacionados.

Texto retirado do próprio site do evento:

É o principal documento da Rio-92 (Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano), que foi a mais importante conferência organizada pela ONU (Organização das Nações Unidas) em todos os tempos. Ela tem esse nome porque se refere às preocupações com o nosso futuro, agora, a partir do século XXI. Este documento foi assinado por 179 países, inclusive o Brasil, anfitrião da conferência.

É a proposta mais consistente que existe de como alcançar o desenvolvimento sustentável, isto é, de como podemos continuar desenvolvendo nossos países e nossas comunidades sem destruir o meio ambiente e com maior justiça social.

Para tanto, a Agenda 21 conclama a todos para uma ação conjunta, onde se busca consenso entre vários grupos de interesse, formando - se parcerias entre atores capazes de tomar decisões que combinem crescimento econômico com eqüidade social e proteção ambiental.

É um programa estratégico universal para alcançarmos o desenvolvimento sustentável no Século XXI.

Taxa de Inscrição:
Movimentos Populares e Estudantes: R$ 10,00
Profissionais: R$ 30,00

Saudações,
DCE/UEPG

sábado, 14 de novembro de 2009

Colabore e [re]estruture o DCE!

Estudante! O DCE está se [re]estruturando aos poucos!

Se você tiver móveis em geral, tinta, utensílios de limpeza, cortinas e quer colaborar com o espaço que é seu, faça sua doação para o Diretório Central dos Estudantes!

A Sede está aberta de Terça à Sábado das 9h30 - 11h e 13h30 - 16h
e Terça à Sexta das 19h -21h!

Colabore!

Comissão para Alterações do Estatuto do DCE [21/11]

A Formulação de Propostas de Alteração do Estatuto do DCE-UEPG está em andamento, a Comissão se reuniu hoje [Sábado - 14/11] às 17h na Sede do DCE.

No menu do lado direito você tem acesso ao Estatuto do DCE, se você já o leu ou tem idéias para melhorá-lo, venha e dê dua contribuição!

Próxima Reunião da Comissão: 21/11 [Sábado] às 18h na Sede do DCE

Responsáveis: Sabrina, Celso, Thiago, Leandro e Ana.

Att,
DCE UEPG

Pauta Reunião Ordinária DCE [15/11]

1. Informes
2. Tópicos para Reunião com Reitor
3. Carteirinhas DCE
4. Movimento Pró-EREGEO
5. Luta contra Aterro
6. Apoio à criação do Centro Acadêmico de Serviço Social
7. Propostas Comissão de Organização Festa DCE
8. Nota de Esclarescimento Sobre o Brechó
9. Propostas da Comissão para Alterações do Estatuto DCE
10. Demais Pautas

Sugestões?

Att,
DCE UEPG - Despertar da Sonolência

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Abaixo-Assinado por um Aterro Público

Veja aqui o Manifesto por um Aterro Público em Local Adequado, como cidadão pontagrossense é nosso dever tomar posicionamento nessa questão, analisar os dois lados e ponderar.

Desde o início do debate, o DCE esteve presente ocupando os espaços e tomando posição. A Gestão 2009/2010 Despertar da Sonolência foi empossada no DCE há pouco tempo, mas seus integrantes estão há tempo na Luta por um Aterro Público! Compondo e Construindo os espaços!

O Comitê em Defesa de um Aterro Público em Local Adequado discute suas ações através do Grupo de E-mail, participe!

Venha até a Sede Física do DCE e assine o Abaixo-assinado do Manifesto!

Att,
DCE UEPG

Formulação de Propostas de Alteração do Estatuto DCE [14/11]

Reunião da Comissão para Formulação de Propostas para Alterações do Estatuto do DCE
na Sede DCE às 17h - Sábado [14/11]

No menu do lado direito você tem acesso ao Estatuto do DCE, se você já o leu ou tem idéias para melhorá-lo, venha e dê dua contribuição!

Responsáveis: Sabrina, Celso, Thiago, Leandro e Ana.

Att,
DCE UEPG

Mutirão de Limpeza DCE!

Estudante, venha ajudar a [re]organizar este espaço que é seu!

No Domingo [15/11] a partir das 14h, apareça na Sede do DCE [ao lado do Costelão] e traga o que puder contribuir e boa vontade!




Materiais Necessários:
- Baldes
- Vassouras
- Pá
- Sacos Plásticos
- Panos velhos
- Escovas
- Escovas para sanitários
- Detergente
- Limpa vidros (ou Álcool)
- Enxada
- Luvas (Individual)
- Produto de Limpeza para o Chão

Vamos confeccionar uma parede com folhas de jornal, contribua também:
- Pincéis
- Cola branca
- Farinha de trigo
- Tintas (Acrílica, de tecido, guache...)
- Potinhos

Contamos com você!

ENEM: O que é comodificado é mercadoria

Texto de Roberto Leher:

ENEM: O que é comodificado é mercadoria

.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DCE Convida: Festa da Semana de Bio!


CPI sobre o Lixo no Paraná

DEPUTADO MARCELO RANGEL VAI PEDIR CPI SOBRE O LIXO NO PARANÁ

Baseado em informações que vinha recebendo seguidamente e mais agora que o assunto se tornou público pela divulgação da Imprensa de Ponta Grossa, o deputado Marcelo Rangel pretende apresentar um pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a questão do lixo no Paraná, pesquisando IAP, Secretaria do Meio Ambiente, contratos com o poder público e empresas privadas. “Acho que este é um momento da Assembleia Legislativa se mobilizar. Vou propor aos líderes da situação e oposição a implantação, de uma CPI de forma conjunta pelo Legislativo”.

O deputado apontou que há desconfiança que licenças para a construção de aterros estão sendo expedidas por questões políticas, pessoais ou até mesmo comerciais. “Precisamos evitar que a população do Paraná fique à mercê de decisões equivocadas. A questão dos lixões e aterros envolve não apenas Ponta Grossa e Curitiba, mas todas as demais cidades paranaenses estão sujeitas a este problema.

O deputado pretende ouvir explicações do Instituto Ambiental do Paraná e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente sobre os critérios que estão sendo adotados para esses licenciamentos.

Num breve pronunciamento hoje (9/11) na Assembleia Legislativa, o deputado mostrou sua preocupação com a situação do Lixo em Ponta Grossa, levantada pela imprensa regional no fim de semana. “Se a mídia nos alerta de que Ponta Grossa poderá ficar sem a coleta de lixo, há algo de muito errado com este novo aterro. É muito estranho”, disse o deputado na tribuna da Assembleia.

Rangel lembrou que os alertas sobre o problema do Lixo em Ponta Grossa vêm sendo feitos desde 2004. “O que nos preocupa é que neste tempo todo a Prefeitura não fez qualquer pronunciamento sobre o assunto”. Rangel pretende apresentar um projeto de lei proibindo que o lixo de Curitiba vá para Ponta Grossa e que o lixo regional seja absorvido por aterros específicos e regionais.

Destacou também que uma audiência pública realizada recentemente não teve a presença de nenhum representante do executivo municipal e nem a participação do presidente do IAP.

Na época, frisou o deputado, o prefeito chegou a declarar que não tinha uma opinião formada sobre a questão “e agora nos chega a notícia de que o atual aterro será desativado se não aprovarem a instalação desse aterro particular”.

O deputado também disse que enviou em requerimento ao IAP, solicitando informações sobre a liberação do novo aterro, mas não recebeu resposta. Os próprios empresários chegaram a afirmar na audiência pública que o local no Botuquara não seria o ideal para o funcionamento do lixão, mas que outro terreno indicado não teve negociação com o proprietário.

Rangel frisou, ao fim do seu pronunciamento que a situação do lixo em Ponta Grossa é bastante preocupante e que a atual situação “não está cheirando bem”.

Fonte/Autor:
Assembléia Legislativa do Paraná
Osni Gomes / 41 3350-4083

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Enquete Aterro Sanitário: Vote!

Você concorda com a oposição dos ambientalistas em relação ao novo aterro?
Vote!

[Oposição não só dos ambientalistas! Também do DCE!]

Assine o Abaixo-Assinado do Manifesto: POR UM ATERRO SANITÁRIO PÚBLICO, POR UMA POLÍTICA PÚBLICA EFETIVA DE RESÍDUOS EM PONTA GROSSA

Venha até a Sede Física do DCE e assine o Abaixo-Assinado!

NOTA DE APOIO À GREVE DOS SERVIDORES DO MTE (MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO)

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UEPG vem À público manifestar seu apoio ao movimento de paralisação dos trabalhadores do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), que estão em greve desde o dia 05/11.
Entendemos como justa a reinvindicação de um Plano de Carreira e melhores condições de trabalho, pois apenas dessa maneira o serviço público poderá atender aos trabalhadores e ao povo com melhor qualidade.

Saudações estudantis,
Diretório Central dos Estudantes/UEPG

Manifesto: POR UM ATERRO SANITÁRIO PÚBLICO!

POR UM ATERRO SANITÁRIO PÚBLICO,
POR UMA POLÍTICA PÚBLICA EFETIVA DE RESÍDUOS EM PONTA GROSSA

Campos Gerais, 03 de junho de 2009.

Reiterado em 06 de novembro de 2009.

            Vivemos o limiar de uma crise ambiental sem precedentes na história da civilização humana, que tem como principais causas o individualismo e o consumismo desenfreado que caracterizam a atual fase do sistema capitalista global. Esta crise é fruto de uma ideologia que idolatra o progresso e a tecnologia a qualquer custo, sem considerar os impactos das ações humanas sobre a natureza. É preciso reverter esta lógica predatória para que possamos superar esta crise e construir um modelo sustentável de civilização.

            Os principais responsáveis por esta crise ambiental são as grandes corporações empresariais que, na ânsia do lucro e acumulação de capital, destroem os recursos naturais e o equilíbrio ecológico necessário para a manutenção da vida. Precisamos unir a sociedade e combater os interesses privados daqueles que lucram com a destruição da natureza.

            Esta luta deve ser travada no plano global, mas ela começa na nossa casa, na nossa rua, na nossa cidade. Aqui em Ponta Grossa nos deparamos com uma grande ameaça ao meio ambiente, que é a implantação de um aterro sanitário pela iniciativa privada em desacordo com os interesses sociais e ambientais da população. O local escolhido para a implantação do aterro está localizado dentro de uma Área de Proteção Ambiental (APA), onde existem nascentes e áreas encharcadas (Área de Proteção Permanente protegidas por lei) e se localizam sobre o Aquífero Furnas, manancial subterrâneo que abastece os poços artesianos de Ponta Grossa e região. Toda esta área é reconhecida como patrimônio ambiental e cultural (Rio Verde, Capão da Onça, Buraco do Padre, Cachoeira do Rio São Jorge, Cachoeira da Mariquinha, Alagados, Furnas, Caverna das Andorinhas, Escarpa Devoniana, etc.), sendo que vários destes locais são parques criados por lei municipal de 1992 e por decreto federal de 2005.

            A licença ambiental concedida à empresa privada pelo IAP de Curitiba (não houve a participação do Escritório Regional do IAP de Ponta Grossa) foi realizada de forma pouco transparente, sem a participação da sociedade civil, sem a resposta aos pareceres de técnicos emitidos em 2008 e está sendo questionada junto ao Ministério Público Estadual.

            Os integrantes do Comitê em Defesa de um Aterro Público, constituído por diversas entidades da sociedade civil organizada, defendem a implantação de um aterro sanitário público em um local tecnicamente apropriado, a partir de um processo de licenciamento transparente e democrático, que conte com a participação de toda a população pontagrossense na discussão do projeto. O serviço de coleta, reciclagem e de depósito de resíduos é um serviço público e deve ser assim tratado. Não podemos transformar o lixo em uma mercadoria para dar lucro para alguns poucos empresários. Não podemos ficar a mercê de mais um monopólio privado que vai ditar e impor o preço do serviço à toda a população.

Faz-se urgente a implantação de uma política pública municipal contrária à lógica do lixo como meio de lucro de poucos e exploração de muitos. E que o poder público assuma o seu papel de executor de ações permanentes e efetivas voltadas para a produção e o consumo responsável de resíduos, como questão de sobrevivência para as próximas gerações. Antes de receber resíduos de outros municípios, Ponta Grossa precisa enfrentar a problemática local dos seus próprios resíduos que resulta, por exemplo, em mais de 90% de seus arroios poluídos de lixo e esgoto.

            Por isso conclamamos a toda sociedade civil e a população de nossa cidade a entrar nesta luta, que não é somente nossa, mas também das futuras gerações.

Fórum Social de Defesa de Políticas Públicas
Comitê em Defesa de um Aterro Público em Local Adequado

DCE Convida: Atividades Grupo Fauna

Quarta-Feira [11/11] às 19h na Usina de Conhecimento de Ponta Grossa:

Palestras:
"A educação para o consumo consciente: O caso de Cuba”

Palestrante 1: Ercília Maria Angeli Teixeira de Paula – Departamento de Educação da UEPG


“Modelos de Produção e Consumo e suas consequências éticas, sociais e ambientais.”

Palestrante 2.1: Andresa Liriane Jacobs - Usina de Conhecimento de Ponta Grossa/Grupo Fauna


Projeto de Extensão do DEMAT/UEPG em parceria com Usina: Educação para o Consumo Responsável.


Mais informações: 32234242 

E mais!

Dia 23 de novembro
Horário/Local: 9h/Usina de Conhecimento de Ponta Grossa
Evento: Festival de Músicas das escolas estaduais sobre o “Dia do Rio”
 

Dia: 24 de novembro - DIA DO RIO
Horário/Local: 19h/Usina de Conhecimento de Ponta Grossa
Evento: Palestra sobre o “Dia do Rio”

Tema 1: "Recursos Hídricos dos Campos Gerais: a importância da proteção das águas subterrâneas".
Palestrante 1: Mario Sérgio de Melo - Departamento de Geociências da UEPG

Tema 2: “Rio Pitangui: belezas e contrastes”

Palestrante 2.1: Ana Maria Gealh - Departamento de Biologia da UEPG
Palestrante 2.2: Elizabeth Scheffer - Departamento de Química da UEPG

Exposição comemorativa ao Dia do Rio:

“Rio Pitangui: belezas e contrastes” (UEPG)

Período: de 23 a 26 de novembro das 8h - 11h45/ 13h - 17h

.

DCE Convida: Mácula Ciência e Cinema

Neste Sábado! [14/11]




Atividades: Diretório Central dos Estudantes!


Sexta [13/11]:
- Organização Conferência das Cidades 14h - Câmara Municipal
Quem vai? Ana, Marquinho, Leandro e Quem mais puder.

Sábado [14/11]:
- Mácula Ciência e Cinema 15h - Pequeno Auditório Bloco A, UEPG Central
Quem vai? Ana e Todos estão convidados!

- Reunião Comissão para Alterações do Estatuto DCE 17h - Sede DCE
Responsáveis: Sabrina, Celso, Thiago, Leandro, Ana e demais interessados!

Domingo [15/11]:
- Mutirão de Limpeza DCE! 14h lá na Sede!
Quem vai? Todo mundo!

Materiais Necessários:
- Baldes
- Vassouras
- Pá
- Sacos Plásticos
- Panos velhos
- Escovas
- Escovas para sanitários
- Detergente
- Limpa vidros (ou Álcool)
- Enxada
- Luvas (Individual)
- Produto de Limpeza para o Chão

- Reunião Fixa DCE 18h na Sede

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Posse Diretoria 2009/2010 DCE/UEPG

Ponta Grossa, 05 de novembro de 2009

A Comissão Eleitoral, no exercício de suas funções atribuídas pelo Conselho de Entidades de Base (CEB) de 24/09/09, empossou na presente data da ata a Chapa eleita em 29/10/09 na Diretoria do Diretório Central dos Estudantes. Conforme os dispositivos registrados na ata número 02.
O mandato da Direitoria eleita: Outros Tempos, Gestão Despertar da Sonolência expira em 06 de novembro de 2010, quando estará tomando posse a gestão para o próximo período.

Comissão Eleitoral
DCE/UEPG

Prestação de Contas Gestão DCE É PRA LUTAR! (2008/2009)


Muito além de um documento burocrático, esse se apresenta como um entendimento do papel do movimento estudantil na Universidade na atualidade. E muito além de discursar sobre projetos de Reforma Universitária, esse documento se publica pautado na discussão com os estudantes, com a base desse movimento e o seu cotidiano.

Assumimos o DCE com o compromisso de lutar por antigas bandeiras, por uma Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade. Esses estudantes pareciam vítimas da claustrofobia das paredes gélidas da Universidade. Até o dia 1o. De Setembro, quando a burocracia de setores dessa instituição se defrontou com uma manifestação no popular “Cafofo” organizada pelos alunos de ARTES e que cobrava melhores condições de ensino e estrutura. Para a surpresa daqueles que acreditavam que o movimento estudantil estava derrotado, foi audível pelos corredores a UEPG: “NAS RUAS, NAS PRAÇAS, QUEM DISSE QUE NÃO VIU: AQUI ESTÁ PRESENTE O MOVIMENTO ESTUDANTIL!”.

Essa não é única percepção que podemos ter desse movimento, muito além, ele se reflete em melhores condições para o curso hoje e para diversos outros cursos que contaram com o apoio do DCE para reestruturar seus Centros Acadêmicos (respectivamente Artes, Enfermagem, História, Geografia, Educação Física, Odontologia, Comércio Exterior, entre outros).

A questão do Transporte Coletivo passou por duas vezes pelo Diretório. Numa delas, o DCE apoiou a garantia do emprego para os funcionários da VCG, mostrando que o enfrentamento dos estudantes além de questionar o descaso do poder público revestido na simbiose de alguns vereadores com os interesses escusos e desumanos por parte dessa empresa, também corroborou no apoio desses a causa da classe trabalhadora que trabalha em prol do transporte.

Um palco de discussões estava montado. No fervor das lutas estudantis é convocado o VI CONGRESSO DE ESTUDANTES, que contou com a participação de estudantes de vários cursos e a inscrição de diversas teses. Obtivemos o prazer de lançar a campanha “O PRÉ-SAL É NOSSO!” que até hoje cobra que os recursos do petróleo sejam revertidos para a população.

Isso sem falar nas diversas outras campanhas puxadas pelo DCE. Na confecção das carteirinhas do DCE - em defesa da Meia-Entrada; na divulgação do CINE ARTE – pela valorização e difusão do Cinema Brasileiro; na proposta do projeto Memória DCE – reconstruindo a História do Movimento Estudantil na UEPG; na retomada da reforma da sede física do DCE, a “casinha” – ainda não concluída; no cumprimento de nossa prerrogativa de independência financeira e política – com a venda de bottons, adesivos, canecas do RU, funcionamento do Bazar e ainda na reabertura do processo de pagamento do IPTU da casinha que renegociou uma dívida de mais de R$ 14.000 para R$ 4.156 com a Prefeitura.

Nesse processo é claro que se assume também um processo de auto-crítica, porém, acreditamos que isso se coloca muito mais no sentido de falta de diálogo entre nós estudantes. Pois antes de parte desses serem base ou direção, reconhecemos que houve perda com a desmobilização do movimento em diversos momentos. No ano de 2009, o DCE-UEPG estabeleceu um diálogo intenso com a UNIÃO NACIONAL DE ESTUDANTES (UNE) e a UNIÃO PARANAENSE DE ESTUDANTES (UPE) por meio de eventos organizados pelas entidades, entretanto, ainda faltou um diálogo intenso com os estudantes sobre a importância na participação de congressos e conselhos.

Antes de culpar membros que se comprometeram com o DCE e não cumpriram suas funções, essa carta não se apresenta como um pedido de absolvição aos estudantes. Como já visto em diversos outros momentos, a própria História se encarregará dessa tarefa. Ela se ocupa de discorrer e de ser discutida entre os corredores da UEPG. Pois é somente na discussão que podemos contribuir com o DCE.

O DCE É PRA LUTAR!

BOA GESTÃO A PRÓXIMA DIRETORIA

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

PGA prepara ação criminal contra 10 entidades sociais

A População precisa se informar sobre o Aterro Privado da PGA e fazer surgir a consciência ambiental!
[repostagem]
Ponta Grossa Ambiental deve protocolar ação até sexta-feira sob alegação de entidades usarem artifícios ilegais para informar a população sobre o novo aterro
Publicado em: 27/10/2009 00:00
Diego Antonelli
A empresa Ponta Grossa Ambiental (PGA) prepara ação criminal contra 10 órgãos que teriam usado artifícios ilegais para informar a população sobre a construção do novo aterro sanitário, que está embargado pelo Ibama e pela Prefeitura. Um panfleto que está em circulação pelas ruas de Ponta Grossa é o principal motivo para a abertura da ação. "Neste panfleto há muitas inverdades sobre o empreendimento da empresa. Não é justo usar destes artifícios para ludibriar a população", afirma o advogado da PGA, José Salamacha. A ação está sendo formatada e a previsão é de que seja dada entrada na Justiça em aproximadamente uma semana. Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Ponta Grossa (OAB-PG), Associação Comercial, Empresarial e Industrial de Ponta Grossa (Acipg), Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg), União Paranaense dos Estudantes, Instituto Cidade Viva, Grupo Fauna, Fórum Social em Defesa das Políticas Públicas, Comitê em Defesa de Aterro Público, Diretório Central dos Estudantes (DCE), Centro Acadêmico de Biologia Erasmo Darwin e Diretório Acadêmico de Geografia Luiz André Sartori devem ser os citados através de inquérito criminal na Justiça Estadual. Salamacha afirma que ações civis públicas e demais discussões na justiça são atitudes válidas por quem é contra o empreendimento. "Todos são livres para agir da forma que acredita ser correta. Mas espalhar mentiras e extinguir verdades é algo mais sério", afirma o advogado. De acordo com ele, o material está sendo espalhado pela cidade há aproximadamente 20 dias. Diante da informação da provável ação criminal, Andreza Jacobs, representante do Grupo Fauna e participante atuante dos movimentos que debatem a construção do aterro sanitário, afirma que todo material publicado foi produzido por especialistas da área. "O que foi veiculado é ciência e nós como movimentos sociais e demais órgãos temos a liberdade de nos expressar e nos manifestar sobre temas que dizem respeito aos Campos Gerais", ressalta. Audiência debate aterro sanitário A Comissão de Ecologia e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa promove na quinta-feira, às 14 horas, na Câmara Municipal de Ponta Grossa, audiência pública para debater e reavaliar o processo de implantação do aterro sanitário na cidade. A iniciativa de discutir o tema com a população é do deputado Péricles de Mello (PT) ao apontar, em discurso na tribuna da Assembleia, possíveis falhas nas licenças prévias para a execução da obra. Péricles encaminhou requerimento à Comissão de Meio Ambiente convocando a audiência. "É preciso realizar uma discussão ampla com a participação da sociedade civil organizada, entidades representativas, além dos órgãos estaduais responsáveis pelo processo", defende o deputado. Péricles demonstrou preocupação sobre a condução do caso depois que recebeu um relatório preparado pelo professor e geólogo da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Mário Sérgio de Melo. O relatório sinaliza que o aterro localiza-se em área de recarga do Aquífero Furnas, importante manancial de águas subterrâneas da cidade. Mostra ainda que fraturas e feições doliniformes (abatimentos) na rocha no local indicam acentuado risco de contaminação do Aquífero; aponta que o local está sobre áreas de proteção permanente (nascentes) que supostamente foram apagadas do mapa do processo para não caracterizar crime ambiental. O terreno, ainda de acordo com o documento, está dentro da área de proteção ambiental da Escarpa Devoniana, junto ao Parque Municipal do Capão da Onça, próximo ao Parque Nacional dos Campos Gerais; região de rico patrimônio ambiental e natural da cidade.

Fonte: JM News

Crea propõe reforma urbana em PG

[repostagem]
Mudanças na legislação e questões sobre o meio ambiente serão sugeridas para os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário
Publicado em: 28/10/2009 00:00 Diego Antonelli
Uma carta com 10 propostas de melhorias para Ponta Grossa será entregue amanhã por membros do Conselho Regional e Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (Crea-PR) para representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Mudanças na legislação municipal que trata de carros de som e propostas que garantam acessibilidade para portadores de deficiência são algumas das sugestões debatidas em audiência pública, às 19 horas, na sede da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa. As sugestões foram elaboradas por profissionais ligados ao Crea através do projeto Agenda Parlamentar, que discute a aproximação da entidade na elaboração de políticas públicas para os municípios. "Nós esperamos que as sugestões sejam aceitas, já que todas as propostas foram elaboradas a partir de um diagnóstico realizado por profissionais", afirma o Vander Moreno, gerente regional do Crea. Será apresentada uma proposta para alterar a legislação que diz respeito à circulação de carros de som pelas ruas da cidade. "Há uma diferença com o que diz a lei federal e queremos consertar isso. A municipal permite que o volume chegue a 85 decibéis enquanto a federal o limite é 60", explica Moreno. Uma outra proposta defende a adequação dos estabelecimentos comerciais da Avenida Vicente Machado e do Calçadão da Rua Coronel Cláudio às normas de acessibilidade aos portadores de deficiência. Segundo o engenheiro civil, Paulo Roberto Domingues, a intenção é estimular os comerciantes e lojistas da cidade a pensarem na acessibilidade. "Já foi feita a revitalização dessas duas vias e queremos que os lojistas agora pensem também na acessibilidade. Estamos propondo a adequação de apenas duas vias, mas queremos envolver toda a cidade", enfatiza. Além da acessibilidade, as propostas também tratam de outros temas, como a preservação dos solos e recursos hídricos, espaço destinado a vagas para veículos em edificações e limites de armazenamento de botijões de gás GLP. "Hoje não há limite para isso, que é extremamente explosivo e perigoso. Propomos uma lei que dê mais segurança à população", diz Moreno. O secretário municipal de Planejamento, José Ribamar Krüger, afirma que todas as sugestões serão bem recebidas. "Ainda não há uma posição definitiva, mas as proposta e sugestões devem ser estudadas", afirma. Projetos se preocupam com meio ambiente Na área de agricultura serão apresentadas duas propostas relacionadas à preservação do meio ambiente. A primeira sugere a realização de um convênio entre a Prefeitura de Ponta Grossa, Associação dos Engenheiros Agrônomos dos Campos Gerais (AEACG) e Crea para facilitar a regularização dos pequenos produtores da região à legislação ambiental, principalmente ao Sistema de Manutenção, Recuperação e Proteção da Reserva Florestal Legal e Áreas de Preservação Permanente. A outra proposta prevê a elaboração de um projeto de lei estabelecendo incentivos aos proprietários rurais que preservem recursos naturais, principalmente as nascentes e cursos d'água. Para o engenheiro agrônomo e diretor da AEACG, Luiz Francisco Vaz, as propostas foram pensadas para melhorar a qualidade de vida da população. "Não queremos ser apenas um clube de agrônomos. Queremos fazer parte do processo decisório do município, mostrando para a população a importância do Engenheiro Agrônomo para a sociedade e como podemos contribuir para melhorar a vida das pessoas", finaliza.

Fonte: JM News