quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Moção de Apoio DCE-UEPG a Greve dos Bancários

Um direito
Viemos por meio dessa, saudar a forte greve nacional dos bancários que já dura uma semana e expressar nosso total repúdio às medidas dos patrões e do estado em retirar dos trabalhadores aquele que é seu primeiro direito: O DIREITO DE EXPRESSAR SUA CIDADANIA!

A constituição cidadã de 1989 cede aos trabalhadores o chamado Direito de Greve. Algo que vem sendo atropelado pela iniciativa dos patrões nos últimos anos que ocorre por meio de medidas de desvirtuação do instrumento legal de greve e do direito dos trabalhadores em se expressar por meio de suas manifestações pacíficas e ordeiras. Segundo site oficial do Sindicato dos Bancários, filiado a CUT, as iniciativas de interditum prohibitorium prevêm pesadas multas aos organizadores das manifestações, colocando em risco as organizações sindicais (http://www.mgiora.com.br/interditoproibitorio/oque.htm)


Movimento Estudantil vs. Interdito Proibitório

O DCE-UEPG assim como demais entidades do movimento estudantil de Ponta Grossa, já sofreram com tal medida, nos impedindo de nos expressar quanto a direitos naturais dos estudantes. É conhecida a trajetória do movimento estudantil pontagrossense pela luta do PASSE-LIVRE e pelo direito de ir e vir, ao mesmo tempo que são conhecidos os ataques contra esses direitos, em alguns casos AS MULTAS PODEM CHEGAR A ATÉ R$ 1 MILHÃO!

Perante momento em que a crise mundial dos bancos é condicionada pelos erros dos banqueiros e expeculadores internacionais, esses mesmos que condenam a sobrevivência da classe trabalhadora e de seus direitos, NÃO PODEMOS TOMAR OUTRA POSIÇÃO SENÃO A DE APOIO A LIVRE MANIFESTAÇÃO DOS TRABALHADORES! As experiências históricas de confluência da trajetória dos trabalhadores com a trajetória dos estudantes nos temos que só temos muito a ganhar, esse é o objetivo e o motivo que nos faz escrever essa moção

Nós, enquanto membros do movimento estudantil, nos apresentamos enquanto solidários a causa dos trabalhadores que usam de todos seus mecanismos legais para acabar com a exploração do capital. Por isso, não nos apresentamos enquanto compactuantes de medidas desvirtuosas dos direitos dos trabalhadores.

-CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS
-PELO DIREITO IRRESTRITO DE GREVE
-CONTRA O INTERDITUM PROHIBITORIUM

DCE-UEPG (Gestão DCE É PRA LUTAR 2008/2009)
15 de Outubro de 2008

15 comentários:

pocai disse...

''Bem unidos façamos essa luta final, por uma terra sem amos, A INTERNACIONAL''

uma semana de greve, com mobilizações e atividades cidadãs, contando com a reação burguesa dos patrões é um motivo pra se comemorar muito mais que qualquer aniversário.

=)

Salve Camaradas...

Mariana disse...

Apoio a luta dos trabalhadores!!!

Marco Aurélio disse...

massa

João disse...

=)

Anônimo disse...

vcs apoiam essa merda pq não usam banco, né?

¬¬

Anônimo disse...

Cara...sério mesmo...quando forem publicar textos que envolvam questões relacionadas ao Direito, por favor, façam alguma espécie de consultoria com algum acadêmico ou advogado.
Primeiro que interdito proibitório não tem nada a ver com a temática. Interdito Proibitório é um instituto dos Direitos Reais que visa a defesa da posse e/ou propriedade.
Segundo, e o que mais me chamou atenção, é que a chamada "Constituição Cidadã" não é de 1989, mas sim, de 5 DE OUTUBRO DE 1988. ACABAMOS DE COMPLETAR 20 ANOS DE CONTITUIÇÃO.
Fica o toque, pois, o curso de Direito estará sempre de portar abertas para ajudar.

caroline disse...

o anonimo... porque vc nao vem participar das reunioes que sao realizadas no DCE?
vai la assim vc pode nos ajudar com essa parte do judiciario?

caroline disse...

bom mais la vc nao vai ser anonimo......

DCE-UEPG (2008-2009) disse...

realmente...
me desculpe mas,

na verdade, segundo foi discutido no post é quanto a questão da própria aplicabilidade indevida do IP. Os banqueiros estão alegando que as manifestações ferem o direito de propriedade dos bancos. Se você puder prestar a atenção que quando citamos a questão da ''desvirtuação'' estamos nos referindo exatamente a essa questão. Os banqueiros estão usando o argumento de que as greves estão questionando seu ''direito'' a propriedade. Se não tem nada a ver então como o Sindicato dos bancários fora processado durante a greve?

Nesse caso, quem está confundindo a temática com a lei são os banqueiros, não nós, que reparamos na greve um instrumento legal de manifestação. Mas, ainda acredito que bons advogados podem nos ajudar e ao movimento dos bancários a resolver esse problema.

Se nos revoltamos com essa questão, deveríamos usar nossos argumentos jurídicos para enfrentar essa desvirtuação. ''Anônimo 2'' você poderia ter acessado o site do sindicato que está incluído na postagem e que fala sobre o assunto http://www.mgiora.com.br/interditoproibitorionao/oque.htm#

Enfim, quanto a questão da Constituição ter sido promulgada em 1988, cabe aqui admitir um erro de DIGITAÇÃO e não de informação. Vamos corrigir imediatamente esse erro e prometemos ficar mais atenciosos nas próximas vezes.

É, temos conhecimento também da acessibilidade do curso de Direito. Aliás, temos ótimos contatos dentro do curso. Entretanto, essa acessibilidade não é expressada por você, pois não se demonstrou ao menos capaz de se identificar. Me desculpe, companheiro, mas infelizmente isso é o que identificamos sim como auto-sabotagem do movimento estudantil.

Obrigado.

DCE-UEPG (2008-2009) disse...

Ao 1o. Anonimo:

gostamos de manifestações incisivas nos espaços dos quais o movimento rege. Entretanto, preferimos que primeiramente não se use palavras de calão. Isso foi algo que nós mesmos tivemos de rever em nossas atividades como passagens em sala, manifestações, etc.

Portanto, preferimos que isso não se discorra aqui, um espaço livre e de debate entre estudantes educados e atenciosos às questões da sociedade. Durante anos (leia-se Ditadura) lutamos por liberdade de expressão e atitudes como essa só corroboram para justificar a privação de direitos como esse.

Quanto a questão de você nos acusar de não usarmos bancos, acreditamos que uma reivindicação de classe não se inicia com o apoio total da sociedade, senão não seria uma reivindicação de classe. Os trabalhadores (em suas classes) sempre que foram as ruas reivindicar seus DIREITOS buscaram conscientizar o restante da sociedade da importância dessas reivindicações.

A sua acusação ao DCE, além de ser ofensiva e de baixo nível (''merda''), ainda demonstra que não somos nós quem estamos despreocupados com as questões da sociedade, mas sim você - que não se sensibiliza com os problemas dos trabalhadores em seus cotidianos (que nos afetam também). Aliás, essa sua atitude só demonstra o favorecimento aos banqueiros especuladores e geradores de crises como essa quando na verdade deveria estar, enquanto INTELECUTAL que acredito que seja, das QUESTÕES SOCIAIS.

pocai disse...

eh, sei lah,

eu mesmo fiquei 1 dia com o salário atrasado, mas apoiei desde início a atitude dos bancários em cobrar seus direitos. Acho que vale o sacrificio

Alem do mais, os bancarios sempre foram uma classe q estiveram em enfrentamento direto com questòes como mecanização da mão-de-obra, exploracao etc...
falta ai um pouco de sensibilidade de uma parte da sociedade (classe-media) que se acha separada daquilo que deveria estar mais próxima - dos trabalhadores.

Intelectuais, a quem vocês servem?
=*

Diego DiAS disse...

Aeee dce
apoiado!!

contra a autosabotagem do movimento

Anônimo disse...

Papai, me da 10 reais pra eu fazer uma revolução??

ASs: Anônimo 1

anonimo 3 disse...

ainda bem que são só os membros do DCE que são sustentados pelos pais...

e ainda bem que são os únicos ''idiotas'' que acreditam em movimento estudantil enquanto o resto da galera da UEPG tá pouco se importando ou até mesmo criando movimentozinho contra...

caroline disse...

pra mim anonimo vc é uma pessoa frustrada porque nao está no dce...quem me garante que vc tambem nao é sustentado pelo seus papais...
e ja que partiu pra ofenças....pra mim vc é um idiota...